Artigos


Fonoaudióloga e ortodontia

Alterações da motricidade oral

A terapia miofuncional, no trabalho com motricidade oral, atua nas desordens miofuncionais restabelecendo as funções de:

• respiração;
• mastigação;
• deglutição;
• fonação e articulação
• sucção.

É possível também associar recursos mioterápicos, adequando força e movimento dos músculos a elas envolvidos, além de trabalhar a remoção de hábitos parafuncionais e postura.

Os tratamentos são individualizados, estabelecendo de maneira diversificada os exercícios a cada caso específico, respeitando a relação forma-função. Daí, a importância do trabalho em parceria com a ortodontia, complementando-se na definição das alterações de personalidade.

Respiração oral

A criança, quando nasce, respira pelo nariz e, caso não aconteçam interferências como rinites, bronquites, alergias, hipertrofia de amígdalas ou adenóides, a respiração nasal deverá continuar até o final da vida.

Funções do nariz:

- respirar (filtrar, aquecer e umidificar o ar);
- cheirar;
- falar.

Quando não respiramos pelo nariz e sim pela boca, podemos causar desde uma simples irritação da mucosa oral até graves alterações de crescimento. A língua irá posicionar-se diversamente dentro da boca, e não cumprirá seu papel de modelador dos arcos dentários.

Algumas características do respirador oral para os quais devemos estar atentos:

- indivíduos que roncam e babam a noite;
- sensação de boca seca ao acordar;
- menor rendimento físico;
- diminuição do olfato e paladar;
- gengivas hipertrofiadas (tamanho aumentado);
- olheiras;
- lábios hipotônicos (moles);
- nariz geralmente entupido;
- língua muito flácida e anteriorizada;
- assimetrias faciais;
- deglutição atípica;
- respiração ruidosa;
- mastigação ruidosa;
- cabeça mal posicionada;
- mordidas cruzadas unilaterais; etc...

O tratamento parte da conscientização da respiração nasal e a importância do uso do nariz e do fortalecimento da musculatura oral.

É imprescindível a orientação à família quanto à mudança de comportamento ao dormir e o tipo de alimentação, que deverá conter mais alimentos sólidos, melhorando a hipotonia dos órgãos fonoarticulatórios.

O trabalho com o respirador bucal não é limitado à fonoaudiologia. Muito pelo contrário, normalmente temos um otorrinolaringologista e um ortodontista acompanhando o caso.

Mastigação

A mastigação é o trabalho conjunto da mandíbula em relação à cavidade oral (língua, dentes e músculos) que tem como objetivo a degradação mecânica dos alimentos, transformando-os em pedacinhos. Em seguida, estes pedacinhos menores ligam-se entre si pela ação misturadora da saliva, obtendo-se desta forma o bolo alimentar pronto para ser deglutido.

Alguns indicadores que nos mostram que a mastigação não está sendo feita adequadamente:

- musculatura facial assimétrica;
- dor ou ruído na ATM (articulação têmporo- mandibular);
- desvio ou limitação mandibular;
- postura unilateral viciosa;
- movimentos verticalizados.

É necessário que se faça uma consulta ao ortodontista, a fim de diagnosticar estes possíveis quadros. E em seguida buscar o trabalho fonoaudiológico para que se possa atuar conjuntamente de uma maneira mais efetiva.

Deglutição

Podemos definir deglutição como o ato de engolir, isto é, o transporte do bolo alimentar ou de líquidos da cavidade oral até o estômago. Ela age como mecanismo protetor, removendo partículas originariamente perdidas na mesofaringe.

A deglutição alcança a maturação aproximadamente aos 3 anos, quando passa a ser chamada deglutição adulta, e esta se caracteriza por:

- toque de língua na papila palatina;
- oclusão dentária;
- não participação ativa dos músculos peri-orais;
- movimento ondulatório da língua contra o palato.

Geralmente o deglutidor atípico apresenta:

- respiração bucal;
- postura incorreta da cabeça;
- musculatura peri-oral alterada;
- presença de interposição e pressionamento atípico da língua;
- deslize mandibular;
- alteração da sensibilidade oral.

Estas alterações podem aparecer isoladamente ou associadas.

* Obs. Dependendo da posição do pescoço, a língua também tenderá a se posicionar mais para frente ou para trás, colaborando com o crescimento inadequado. E quando a língua sai do arco superior, ela eleva a laringe junto, o que tende a provocar também um problema vocal.

Devemos buscar sempre o correto posicionamento do tronco e da cabeça para iniciarmos o tratamento de reeducação miofuncional, que visa o trabalho de toda a musculatura orofacial associada à deglutição, para alcançar um bom desempenho desta função.

O TRATAMENTO ORTODONTICO MUITAS VEZES REQUER O TRATAMENTO CONJUNTO COM A FONOAUDIÓLOGA.


Voltar para Artigos